O Museu da Criação, e os criacionistas

img265/2150/2183512070529creation1or7.jpg
 
Inauguraram nos EUA o chamado "Museu da Criação". Conta a história do mundo segundo a Bíblia, e isso, conforme a visão de certo tipo de "criacionismo". 
 

Um "criacionista" é alguém que abre uma Bíblia, e interpreta – segundo noções que lhe são contemporâneas, e ao pé da letra – tudo o que imediatamente lê. Sua interpretação é imediata, não mediada. Existiu verdadeiramente um Eden, Eva foi criada da costela de Adão, e se houveram dinossauros, eram simplesmente criaturas que habitavam o primeiro Jardim. O mundo foi criado, e teria – na visão do museu – 6000 anos, ao contrário do que pregam os cientistas.
 
A "teologia" de um criacionista é baseada na visão de um positivista ingênuo: tudo aquilo que vê diante dos olhos tem caráter de verdade (obviamente, caso aceite como tal). A Bíblia, portanto, não é um agregado de múltiplas tradições milenares; é algo como um manual (no sentido contemporâneo de manual de instruções, e não em outros sentidos antigos) para a vida. Relatos como o da Criação indicam para ele acontecimentos, e não narrativas de tradições antiquíssimas. Obviamente, narrações antigas podem conservar seu caráter religioso simplesmente por serem explicações teológicas do mundo, e não estarem separadas de uma conduta religiosa. Mas o criacionista não se contenta com isso. Por constar na Bíblia, a Criação não é uma metáfora; ela simplesmente ocorreu.
 
Mas os problemas do Criacionismo pululam, quando verificamos que a Bíblia não é nem um apanhado contínuo – como um manual de instruções -, nem contém uma coerência única, e nem é apenas uma narração de acontecimentos. Os livros das Crônicas simplificam e não respeitam nem os livros de Samuel, nem os de Reis; entre o NT e o AT há tantas descontinuidades e deslocamentos, que a tradição judaica deve ser considerada mais sob uma série de mudanças na visão de mundo, do que numa única visão que se desdobrava. E uma das regras básicas de leitura desse texto é notar que os escribas não queriam constituir uma teoria (no sentido atual) trans-histórica, mas ensinamentos para seu próprio povo.
 
Essa descontinuidade, para o fiel, não representa problema algum. O problema está na simples aceitação da crença, como se a Bíblia fosse tão clara que até nos dedos do tradutor refletissem as palavras Divinas. E qualquer tradutor sabe quão difícil é traduzir palavras de língua e tradições tão diferentes sob um mesmo critério.
 
A linguagem do criacionista, quando ignora tantas linguagens de tradições milenares, e admite um simplismo ingênuo, é incrivelmente parente de uma certa situação de nosso mundo contemporâneo. Calamos outras vozes, consideramos elas como errôneas e não correspondentes ao "manual", simplesmente para que a nossa seja a única verdadeira. Nada da Bíblia, no fundo, está em jogo. Trata-se meramente da projeção universal de temas e condutas locais. Coisa contraditória, para quem quer conferir ao "Livro dos Livros" um alcance universal.
 
img339/9244/2184247070529creation2ct6.jpg
 
***
Começam a "criar", também, os bonecos cristãos.  
 
***

Vitória Financeira?

A Bíblia de Estudo Batalha Espiritual e Vitória Financeira foi projetada para levá-lo a uma nova posição de poder e vitória em todas as áreas da sua vida, embora o foco esteja em duas áreas: a batalha espiritual e a vitória financeira.
 
Nela, você encontrará 280 artigos de Batalha Espiritual e 118 artigos de Vitória Financeira; palavras-chave, com os correspondentes termos originais em hebraico e/ou em grego, para uma compreensão mais profunda do texto bíblico; tabelas com informações e referências adicionais sobre os textos bíblicos destacados; símbolos de Vitória Financeira e de Batalha Espiritual, acompanhando o texto bíblico assinalado e o comentário correspondente; Índices de Referências sobre Vitória Financeira e sobre Batalha Espiritual, com tópicos que remetem aos artigos com revelações e estratégias poderosas de vitória financeira e de batalha espiritual; um Índice de Passagens Bíblicas para estudo posterior, que permitirá um conhecimento adicional sobre os tópicos estudados; uma “Lista de checagem” da vitória financeira; e vários estudos sobre batalha espiritual e sobre vitória financeira no suplemento final da Bíblia.

Informações sobre o autor:

 
O autor das notas da Bíblia de Estudo Batalha Espiritual e Vitória Financeira é considerado uma das maiores autoridades mundiais em oração e batalha espiritual, e um dos maiores evangelistas de todos os tempos. Judeu naturalizado norte-americano, Morris Cerullo tem ensinado milhões de cristãos em muitos países a alcançarem vitória financeira. Esse "profeta apostólico de Deus para as nações do mundo" exerce há quase 60 anos um ministério provado e aprovado.
Profundo conhecedor da Palavra de Deus, seu ministério inclui: Escolas de Ministérios, a revista Blessed, o programa de televisão Vitória, e a rede de televisão via satélite A Nova Inspiração. Formado pela Universidade Bíblica de New England, Morris Cerullo é autor de mais de 50 livros, entre eles Senhor, ensina-nos a orar, e A última grande transferência de riquezas, publicados pela Editora Central Gospel. Poucos ministros do evangelho têm causado tanto impacto no destino eterno de dezenas de nações como ele.
***

Bíblia mais antiga do Mundo

Sorte que já estão disponibilizando por aí outras versões
 Bíblia mais antiga do mundo será colocada na web

 
O Livro de Esther no Codex Sinaiticus

O Codex Sinaiticus é escrito em grego arcaico

A mais antiga Bíblia existente no mundo deve ser colocada na internet por uma equipe de especialistas da Europa, do Egito e da Rússia.

O trabalho de digitalização do manuscrito, conhecido como Codex Sinaiticus, já está sendo feito.

Acredita-se que o Codex Sinaiticus, escrito em grego arcaico, seja uma das 50 cópias das Escrituras encomendadas pelo imperador romano Constantino depois que ele se converteu ao cristianismo.

A Bíblia, cuja maior parte está na Biblioteca Britânica, em Londres, data do século 4.

"É um manuscrito muito especial, diferente de todos os outros", diz Scot McKendrick, chefe do Departamento de Manuscritos Medievais e Antigos da Biblioteca Britânica. "Em cada página, existem textos colocados em quatro colunas, e isso é muito diferente."

Roubo

O projeto de digitalização é muito significativo por causa da raridade e da importância do manuscrito.

O documento original é tão precioso que foi visto por apenas quatro estudiosos nos últimos 20 anos.

O Codex Sinaiticus contém algumas passagens do Antigo Testamento e todas as do Novo Testamento. Ele foi escrito no mosteiro de Santa Catarina, perto do monte Sinai, no Egito.

O documento ficou no local até metade do século 19, quando um estudioso alemão, Constantin von Tischendorf, levou partes do manuscrito para a Alemanha e para a Rússia.

O monastério considera que o Codex foi roubado de seus aposentos.

O Codex agora está dividido em quatro partes. A maior delas – 347 de suas 400 páginas – está na Biblioteca Britânica. As outras estão na biblioteca da Universidade de Leipzig (Alemanha), na biblioteca nacional da Rússia, em São Petersburgo, e no próprio monastério.

Internet

As quatro instituições estão trabalhando em conjunto para digitalizar todo o texto. Elas também estão usando uma técnica, conhecida como captura de imagem hiperespectral, para fotografar o documento com o objetivo de revelar textos apagados ou obscurecidos com o tempo.

Segundo Lawrence Pordez, da Biblioteca Britânica, o processo "não envolve substâncias químicas".

McKendrick estima que serão necessários cerca de quatro anos até que o Codex completo seja colocado na rede.

Esse tempo será usado para "fotografar o manuscrito, conservá-lo, transcrevê-lo e transformá-lo para um formato eletrônico".

A Biblioteca Britânica também vai criar um site para disponibilizar o manuscrito ao público.

"O site vai apresentar o manuscrito assim como ele é e também interpretações do mesmo para diferentes leitores – desde estudiosos até pessoas que não são especializadas no assunto, mas têm curiosidade de ver o documento e entendê-lo", diz McKendrick.

Anúncios

6 comentários sobre “O Museu da Criação, e os criacionistas

  1. Chega a ser impressionante como a ciência é maltratada e como o mito pode fazer ignorar os fatos. Eu considero perigosa toda ação criacionista.

    Você foi perfeito com o argumento da interpretação imediata de um texto que, para piorar, é “caótico”.

    Abraço.

  2. Desculpe a demora em responder.
    Tenho indicação do Angelos Sikelianos sim, em francês: La Marche de l’Espirit.
    Eu postei a tradução de poema dele: Viajo com Dionísio.
    Se você gosta do Kaváfis também vai gosta dele.
    Abraço. 🙂

  3. Adorei o texto, está muito, muito bom, Catatau!!!

    Obrigada por nos trazer tão rica reflexão… além da noticia de que um museu criacionista foi inaugurado (você precisaria ver a minha cara enquanto escrevo isso para entender o quão abismada eu me encontro frente a esta noticia rs).

    Você gosta muito do assunto “religião” não?

    beijo

  4. Estes fundamentalistas argumentam mesmo que o home é contemporâneo do dinossaurio, e que na biblia está uma pasagem na qual um homem é dono de um!!!!!!!

    RE: Nossa, essa é novidade: qual é a passagem, e onde está a afirmação dos criacionistas?
    abração,

  5. Essas analises a respeito dos criacionistas são muito tendenciais e preconceituosas.

    Existe o criacionismo evolucionista que combina darwinismo com a bíblia em perfeita harmonia em argumentos muito fortes, incontraditórios.
    Ex:
    os dias são eras, a bíblia descreve criação de “repteis” no 5 “dia”, e “repteis” no 6 “dia”, os repiteis do 5 dia são os dinossauros o do 6 os que vemos hoje.

    Todos tem direito a liberdade de expressão tanto quanto a liberdade filosófica.
    Se a contermos seremos concerteza afastadores da verdade.

    RE: Ok, mas sob que provas se sustenta esse argumento dos “dias”? Será que antigos sábios, moradores do deserto e seguidores de antigas tradições, estavam pensando em dinossauros? Existem hipóteses muito mais viáveis que se referem a tradições, narrativas tribais, e assim por diante… sem “desmerecer” a Bíblia, ou colocá-la em questões de dizer se um dinossauro apareceu no terceiro ou quarto dia…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s