Pensar ainda enlouquece?

As ciências

"das coisas cujas relações são difíceis de apreender porque pouco sensíveis a nossos sentidos, ou porque suas relações demasiado multiplicadas, obrigam-nos a um grande esforço em sua pesquisa, constituem para a alma um exercício que cansa demais o sentido interior através da excessiva tensão contínua desse órgão"

A citação é do Nouveau Traité des Vapeurs (1770), de Jean-Baptiste Pressavin.

"nos letrados, o cérebro endurece, frequentemente tornam-se incapazes de ligar idéias" (Avis aux gens de lettres sur leur santé, de Simon-André Tissot [1767]).

Não consegui encontrar a edição virtual dessas obras. Mas poderia-se complementar que o gosto pelas especulações abstratas, e o excessivo exercício do cérebro sem o cuidado com o corpo, endurece esse órgão da mesma forma que os músculos de um trabalhador manual, segundo esses fisiologistas do século XVIII. O conhecimento, abstrato e distante do sensível, provoca uma tensão excessiva no cérebro, agita os vapores, e pode resultar em loucura.

 
Concluindo: pensar pode levar à loucura (!).  O que talvez seja mais verdadeiro quanto mais nos aproximamos do fim do ano (olha o perigo, Inagaki!) 😉
Anúncios

4 comentários sobre “Pensar ainda enlouquece?

  1. Independentemente da época do ano, ainda assino embaixo, em cima e dos lados das palavras do Akira Kurosawa: “neste mundo louco, loucos são os sãos”. =)

    RE: Bah, preciso urgentemente ver Sonhos.
    abração!

  2. É pensar e ler depois do almoço que não presta.

    RE: Outra boa questão, Leandro (rsss)… Kant dizia que um filósofo não pode almoçar sozinho, pois isso traria consequências nocivas entre o pensamento e a comida, hehehh
    abração,

  3. “Ignorar convida a tentar. A ignorância é um devaneio e o devaneio curioso é uma força. Saber, desconcerta às vezes, e desaconselha muitas.”. p.230, Os Trabalhadores do Mar, Victor Hugo

    “O cérebro humano é uma coisa tão complexa que nem o cérebro humano é complexo o bastante para entendê-lo. Era só o que eu queria contribuir para o desânimo geral destes dias, obrigado.” p. 227, Luis Fernando Verissimo, Banquete com os deuses

    A citação do Kurosawa lembrou-me de O Alienista (Machado de Assis).

    Quanto ao Leandro, uma vez vi uma pesquisa que dizia que ler após o almoço ajudava na digestão… rs

    Por último, vou fazer uma correção no ultimo parágrafo do post: pensar não pode levar à loucura, pois pensar já é uma forma de loucura. hehehehe

    beijos

    RE: Belas citações! Especialmente a do Vitor Hugo fez pensar bastante, pois há longo tempo loucura e mar são relacionados…
    beijos,

  4. É né? Neste mesmo livro o Vitor Hugo fala disso:

    “Em certos pontos, a certas horas, contemplar o mar é sorver um veneno. É o que acontece as vezes olhando para uma mulher”. p. 44, Os Trabalhadores do Mar, Vitor Hugo

    bjo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s