A lei da lei seca

3 meses atrás, sobre o nascimento da Lei Seca:

Citação: "Se for flagrado embriagado, o motorista vai ter que pagar uma multa de R$ 955 e tem suspensa por um ano a carteira de habilitação. Antes dessa lei o teor alcoólico permitido era de até seis decigramas de álcool por litro de sangue. Pela nova lei passa a ser obrigatório também o teste do bafômetro, antes opcional. Se o motorista se recusar a fazer o teste, ele sofre as mesmas sanções aplicadas ao motorista embriagado."
 
Comentário: Moral da história: se uma lei não funciona, colocamos outra. Mas o problema da aplicação da lei estava na lei, ou na aplicação?
 
Nova moral da história: Para resolver o problema de fiscalização inexistente na lei antiga, criamos uma nova Lei Seca.  Agora que falta fiscalização na Lei nova, criaremos uma nova Lei da Lei Seca?

 
***
 
Assim poderíamos imaginar um conto borgeano, sobre um lugar que criasse sempre novas e novas leis. Uma lei não sendo fiscalizada na prática, cria-se outra lei, em segunda potência. Teríamos a progressão: Lei, Lei2, Lei3, Lei4, LeiN
 
Desse modo, um dia as leis seriam tão dinâmicas que, progressivamente, um número menor de contravenções motivaria cada vez mais uma nova lei, até o ponto em que apenas uma contravenção motivaria a redação de uma Lei nova.
 
Esse novo jardim infinito das leis geraria um curioso efeito nas contravenções: a cada lei nascente que não se fizesse valer, o número de contravenções aumentaria. Isso motivaria mais ainda a criação de novas leis, e  mostraria ser o ramo das leis o único possível de se criar algo formal, fugindo das práticas criminosas espalhadas mundo afora. 
 
Diante de tantas leis e contravenções, os legisladores seriam ovacionados pelo povo marginal. Mundo "ideal", apenas nas Leis.  De resto, a barbárie. A ponto de, um dia, o próprio povo tornar-se motivo de desconfiança: não seria ele essa massa de seres irresponsáveis, razão de nossa existência e trabalho árduo?
 
E a classe legisladora continuaria seu trabalho infinito. Afinal, era da ineficácia de toda lei que se retirava a garantia de seu ofício, e todos os seus privilégios.  emoticon
Anúncios

8 comentários sobre “A lei da lei seca

  1. Oi Catatau, obrigada pelo comentário lá no Histórias. Adorei seu blog e já linkei. Espero que a gente possa sim trocar figurinhas.

    Em relação a este post, me lembra “O alientista do Machado”, a associação é meio indireta, mais pelo efeito em cadeia (absurdo e inútil).

    Tudo de bom, Bjs
    Luciana

    RE: É verdade, Luciana, o Alienista é um bom exemplo! E o Machado acabou dando um termo à cadeia de redundâncias, rssss
    Obrigado pela visita, sigamos!
    bjs,

  2. E que tal se o afã de criar leis cada vez mais perfeitas engendrasse a lei final:
    Eliminar a causa primária da ilegalidade: o homem, que seria substituído por outros seres, integralmente regidos por uma lei simples e perfeita, que jamais poderia ser desobedecida: a lei da selva.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s