Habeas corpus

Abib Miguel, o Bibinho, ex-diretor da Assembléia Legislativa do Paraná, recebeu hoje habeas corpus do Tribunal de Justiça.

Um dos motivos da prisão preventiva era precisamente a interferência na investigação. Quando preso, Bibinho foi flagrado com um triturador de papel e sacos cheios de documentos invalidados. 

A juíza não parece ter considerado isso. Incrivelmente, os advogados de defesa recorreram a nuances técnicas para o pedido:

Os advogados Alessandro Silvério e Bruno Augusto Gonçalves Vianna, que representam Bibinho, argumentaram no pedido de habeas corpus que o cliente estaria sofrendo constrangimento ilegal por estar sendo investigado simultaneamente pelo Ministério Público Estadual e pela Polícia Federal. Os defensores sustentaram que deveria prevalecer a competência da Justiça Federal para investigar o caso – o que foi refutado pela juíza. “Haveria sim, em tese, duplicidade de investigações sobre os mesmos fatos. Ocorre que esta relatora recebeu a notícia de que foi oferecida denúncia contra Abib Miguel. Não é possível, assim, remeter à Justiça Federal”, diz um trecho da decisão.

 Não ficou claro nas reportagens o motivo da soltura. Mas felizmente a justiça decretou nova prisão.

Anúncios

Um comentário em “Habeas corpus

  1. M.E.J. diz…
    Não sei não, eu se fosse o Bibinho, preferiria ficar na cadeia.
    É mais seguro.
    Já imaginaram se ele resolve contar as maracutaias da Assembleia?
    “O couro dele está negociado”, está mais protegido, lá no quartel da PM

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s