Faro jornalístico e constipação

Muito se diz na imprensa sobre Lula querer "controlar" a imprensa, fazê-la servir a certos propósitos políticos. Mas a ironia é ver  boa parte dessa mesma imprensa crítica de Lula, ela mesma, alinhar-se deliberadamente com propósitos políticos bem específicos.

Vale repetir: para certos propósitos não parece haver distinção entre imprensa e seu uso político.

Talvez não seja necessário comentar o caso do "dossier" contra Serra, boa parte um factóide para não repercutir material recolhido pelo jornalista Amaury Ribeiro Jr. sobre os porões da privataria. No livro organizado por Ribeiro, a filha de José Serra tem papel relevante, junto à irmã de Daniel Dantas, em muita história muito mal contada. Ou também o "escândalo" da violação – também ironia do destino – do sigilo fiscal de Veronica Serra, e a total omissão sobre qual seria o interesse em acessar dados de alguém que, segundo o próprio candidato do PSDB, não passa de uma "mãe de família" (sic). Visto a recente história das relações entre o jornalismo e a corrupção no Brasil, não é no mínimo curiosa essa verdadeira administração estratégica do uso dos holofotes?

Basta citar dois casos ainda mais recentes: um deles obviamente fresco na memória; outro, obscuro. Que o leitor avalie a visibilidade desses dois lapsos, mais ou menos (in)consequentes, e decida: Lula declarando que o PFL, quer dizer, o DEM, deve ser "extirpado"; e a esposa de Serra afirmando que o bolsa família (ler o teto de Rafael Galvão) é coisa de vagabundo, ou, mais exatamente,

‘As pessoas não querem mais trabalhar, não querem assinar carteira e estão ensinando isso para os filhos” (sic!)

Diz-se que qualquer coisa serve para os grandes holofotes da imprensa. No Brasil não.

***

Ou imagine o leitor a repercussão se Dilma tivesse esse tipo de comportamento numa entrevista.

Anúncios

2 comentários em “Faro jornalístico e constipação

  1. Isso só me lembra o comportamento hipócrita de certas figuras do meio cultural brasileiro que dão verdadeiros chiliques contra uma possível ingerência do estado na cultura [imprensa inclusive] mas nunca falam da ingerência concreta, abusiva do grande capital em absilutamente todos os aspectos da produção cultural no Brasil.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s